fbpx
Pular para o conteúdo

Quais os Benefícios das Luzes Monocromática em Spas, Hidromassagem e Piscina?

Quais os Benefícios das Luzes Monocromática? A cromoterapia, basicamente, é o uso das cores como meio terapêutico para o tratamento de condições físicas e emocionais. Antes, usava-se luz ambiente e a coloração das roupas, mas o avanço dos estudos sobre o tema permitiu que a terapia das cores fosse mais precisa. Agora, usa-se bastões de luz em pontos específicos do corpo, baseados na acupuntura, e banho de imersão, por exemplo.

cromoterapia

Quais os Benefícios das Luzes Monocromática?

Em uma análise sobre a cromoterapia e sua evolução científica, os pesquisadores do departamento de física da Universidade de Balochistan, no Paquistão, a definem como um método de tratamento que usa o espectro visível (cores) da radiação eletromagnética para curar doenças. Segundo eles, a cor como medicina é tão antiga quanto qualquer outra, a luz do Sol e as cores eram usadas pelos egípcios para a cura e a cor tem sido investigada como medicina desde o ano 2000 antes de Cristo.

“Foi descoberto que as células do nosso corpo se comunicam com a luz por meio dos fótons, agentes luminosos dela. E essa comunicação celular tem embasamento científico”, afirma a naturóloga e cromoterapeuta Mariana Vitte, coordenadora técnica do W Spa, no Rio de Janeiro. Segundo ela, que cita Peter Mandel como o pai da cromoterapia, o método é utilizado tanto para enfermidade física quanto emocional.

“É comum dizer que o corpo está ligado à mente e vice-versa e já não conseguimos mais separar. Quando se faz um tratamento, trata o todo”, diz a especialista. A cromoterapia tem aplicação abrangente, desde dor muscular, fibromialgia, depressão até efeitos colaterais do câncer e amenização de desconfortos gerados por doenças sem cura, como a aids. É importante esclarecer que esse método é uma terapia complementar, ou seja, não se pode abrir mão do tratamento convencional para usá-la exclusivamente.

piscina de concreto armado

Estudo Sobre Temperatura de Cor

Os estudos sobre temperatura de cor mostram que as cores quentes são mais aconselhadas para a criação de uma atmosfera íntima e pessoal, enquanto as luzes frias são mais apropriadas para ambientes formais, nos quais aspectos como limpeza, organização e agrupamento devem ser ressaltados.

Essa percepção é subjetiva, mas os estudos se jogam na observação da própria natureza. Durante o dia a luz natural é mais intensa; no desabar da tarde a luminosidade é reduzida. A própria lógica se aplica às luzes artificiais que utilizamos: enquanto ficamos no trabalho precisamos de uma luz mais intensa para o trabalho; já na morada uma luz mais amarelada tem o papel de incitar o relaxamento.

Teoria das Cores

Quando pensamos sobre as cores aplicadas em um ambiente, em regra o foco sempre fica na iluminação e na temperatura de toda cor, mas também necessitamos levar em autoridade que tipo de emoção cada tom desperta em nosso subconsciente. Esse é uma disciplina que já data de séculos atrás, onde grandes estudiosos como Leonardo Da Vinci e Isaac Newton deram o pontapé inicial ao procurarem associar a luz com a natureza das cores. Assim teve início o que apelidamos de Teoria das Cores.

Branco (ou luz fria)

Tom neutro, muito utilizado para dar a efeito de amplitude, atenção e limpeza aos ambientes. Bastante comum em escritórios e áreas de trabalho da casa como cozinha e lavanderia. É uma temperatura de cor que desperta e nos ajuda a manter o foco nas atividades.

Nas imagens acima, a iluminação branca aparece embutida, proporcionando uma sutil iluminação indireta.

Por considerarem a escala RGB, os LEDs conseguem produzir um branco mais puro e há opções no mercado entre tons frios e mais quentes.

Laranja

Cor dinâmica e viva. Segundo psicólogos, tons alaranjados produzem um efeito cromático que estimula a área do cerébro responsável pela comunicação. Logo, é indicada para espaços de convivência, como sala de jantar e visitas.

Matizes suaves, como pêssego, deixam o ambiente aconchegante, enquanto tonalidades mais intensas sugerem estabilidade.

A imagem mostra uma área reservada com iluminação especial em uma capela nos Estados Unidos.

Vermelho

Estimula as áreas de relacionamento afetivo e sucesso, mas deve ser usada com precaução, já que em excesso pode incitar a irritabilidade e nervosismo. Em domicílios, recomenda-se o uso em ambientes mais íntimos ou direcionado a itens de destaque.

A iluminação da escada deste shopping em Washington combinou tons variados de vermelho, magenta e coral para atingir o equilíbrio.

Violeta

Essa é uma das cores com aplicações mais curiosas. Apesar de ser muito utilizada em dormitórios e projetos direcionados ao público feminino, a iluminação em tons de púrpura está presente na ambientação de aeronaves, devido as suas propriedades relaxantes.

O sossego e a calma também são associados a essa nuance. Em aplicações mais escuras, sugere mistério e dinamismo.

Azul

O azul tem sido ligado a emoções de plenitude e liberdade há muito tempo. Os usos podem variar muito de acordo com as matizes. Azul claro, por exemplo, é recomendado para ambientes calmos.

Alguns decoradores chegam a afirmar que a pintura ou aplicação de iluminação indireta em tons suaves pode tranquilizar crianças agitadas. Matizes mais escuras sugerem produtividade e poder. Na foto, a iluminação azul realça o maquinário de um centro de computação sueco.

Verde

Cor que remete automaticamente à natureza. Representa cura e esperança. Muito utilizada na iluminação de jardins e piscinas, por realçar os tons naturais.

Neste caso o LED é imprescindível, já que é resistente à água. Nos ambientes internos, o verde é usado em tons mais claros, geralmente em banheiros.

Open chat
1
WhatsApp
Olá, Precisa de Ajuda? Estamos Online 👍